quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

O NOROESTE FLUMINENSE NÃO É COPACABANA!


Vereador Juninho Valeriote
São José de Ubá/RJ
Vem eleição, passa eleição e o Noroeste Fluminense continua agonizando. Somos a região mais pobre e mais empobrecida do Estado do Rio de Janeiro. O Índice de Desenvolvimento Humano - IDH - dos nossos Municípios é compatível com o IDH de muitos Municípios do Nordeste, sobretudo no quesito RENDA.

Por falar na região Nordeste, vamos falar nas regiões Norte e Centro-Oeste do país também, que juntas têm em comum órgãos específicos e políticas públicas especiais de desenvolvimento.

A região Nordeste tem a SUDENE. A região Norte tem a SUDAN. Enquanto a região Centro-Oeste tem a SUDECO. Todas elas são superintendências voltadas ao fomento de várias atividades, que tem como fim específico o desenvolvimento dessas regiões.

Essas superintendências, de tão importante que são, tem espaço próprio no orçamento da União, com destinação de muitos recursos para a área da agricultura, sobretudo no que diz respeito ao combate à seca.

Em Brasília, muitos políticos sempre imaginaram (antes da “crise”) que o Rio de Janeiro era TODO RICO. Trocando em miúdos, sempre acharam que Rio de Janeiro era Copacabana, Leblon, Ipanema, Macaé, Campos, Volta Redonda, Petrópolis, Nova Friburgo, etc..

Ledo engano, Rio de Janeiro também é Laje do Muriaé, São José de Ubá, Varre-Sai, Italva, Miracema, Natividade, Porciúncula, Itaperuna, Bom Jesus do Itabapoana, Santo Antônio de Pádua, Aperibé, Itaocara e Cambuci. Todos estes Municípios compõe a região mais pobre do Estado e que até hoje despertou a atenção de muito pouca gente.

A única política pública voltada para alavancar verdadeiramente a economia da região Noroeste Fluminense foi a Lei Rosinha, que concedia isenção de impostos para empresas e indústrias que se instalassem na região, mas que Sérgio Cabral a sepultou precocemente, preferindo dar isenção para Joalherias, Thermas, fábricas de bebidas, grandes corporações, etc.

Atualmente, a única saída visível e palpável que temos em vista, é a inclusão dos Municípios da Região na SUDENE. Isso mesmo, Municípios que possuem características semelhantes aos Municípios do Nordeste podem ser inseridos no rol daqueles que recebem os benefícios da SUDENE.

Em 2017, quando ocorreu uma das maiores estiagens dos últimos tempos na região, buscamos junto ao Presidente da Câmara dos Deputados, a inclusão dos nossos Municípios na SUDENE. Tentamos pegar carona num projeto de lei que tramitava na Casa há 12 anos visando incluir Municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo, mas não conseguimos devido à falta de documentação necessária em tempo hábil. O projeto acabou sendo votado e aprovado. Municípios ricos como Colatina/ES e Linhares/ES foram contemplados e hoje gozam dos benefícios proporcionados pela SUDENE.

Com Rodrigo Maia reeleito Presidente da Câmara dos Deputados e com o empenho do Governo do Estado, através do nosso Governador Wilson José Witzel e do Secretário das Cidades Juarez Fialho teremos a oportunidade de fazer a inclusão dos nossos Municípios na SUDENE, que pode ser a grande saída para a maioria dos problemas que afetam a nossa região.

Um Novo Rio Começa Agora!

Por Hamilton Machado Valeriote Júnior (JUNINHO VALERIOTE), Vereador de São José de Ubá/RJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário